ANTÓNIO BRACONS, INGENIUM, 2022

O meu novo livro. A apresentação terá lugar em Lisboa, no Palácio Pancas Palha, dia 18.09.2022, às 16:30. Em venda (ver abaixo).

.

.

.

António Bracons

Ingenium

Fotografia e texto: António Bracons

Odivelas: Edição do Autor / Setembro . 2022

Português / 16,0 x 23,0 cm / 64 pp.

Brochura / 200 ex. numerados e assinados / Os nºs 1 a 20 incluem uma fotografia numerada e assinada (edição especial) / Capa: Malmero Cendra, 300 g/m2, fotografia a preto e branco impressa em papel Fujifilm, colada / Miolo: Munken Print White 150 g/m2

ISBN: 9789893336083

.

.

.

.

Gosto da ideia de construção e o que dela existe nos movimentos normais. Agrada-me a palavra ‘engenharia’ e o que ela representa: não saias de um sítio sem deixares algo atrás de ti.

Gonçalo M. Tavares, Os Herdeiros de Saramago, 2000

.

Há muito se sabe, aliás, que todas as invenções materiais são uma forma de dar razão à imaginação; e aqui o dar razão pode ser entendido à letra: é dar racionalidade ao que parece irracional. Mais do que isso: dar materialidade ao imaterial: pôr tijolos no espaço das ideias. Engenharia: filha da imagem.

Gonçalo M. Tavares, Atlas do Corpo e da Imaginação, 2013

.

.

Ingenium. Engenho. Engenharia.

Desde sempre o homem procurou técnicas para conseguir o que queria, o que precisava: as habitações, para abrigar a família; as muralhas, castelos e fortes, para garantir a sua segurança e se defender; os templos, locais de culto e devoção; as pontes, para atravessar os rios – para falarmos apenas de alguma construção. “A necessidade aguça o engenho”, diz o dito popular e assim é: a procura de soluções é constante. Os romanos solucionaram a construção do arco perfeito: construíram pontes e edifícios mais amplos com vãos maiores; a construção do arco em ogiva, na Idade Média permitiu igrejas mais altas, o que obrigou a reforços, os contrafortes, e com eles, surgiram as naves laterais e edifícios mais leves. Sempre a construção em pedra ou tijolo. O aço, no séc. XIX, permitiu construções ainda mais ligeiras, mais rápidas e económicas, maiores e mais altas: pontes, edifícios industriais e habitacionais. O betão armado, molda-se a quase todo o tipo de formas e dimensões…  O desenvolvimento tecnológico, de materiais e informático, leva ao constante desenvolvimento de soluções, à maior garantia de segurança, a maior economia, à obtenção de soluções para problemas que antes eram impossíveis de resolver.

Se é verdade que a engenharia está sempre presente em qualquer obra, há algumas de significativa complexidade técnica, nas quais a engenharia supera-se, aplicando soluções complexas ou buscando novas soluções e novos métodos de cálculo.

Como engenheiro civil, nomeadamente nos primeiros anos de trabalho, estive ligado a algumas obras de significativa complexidade técnica. Fotografei essas obras: as estruturas de contenção, o existente que tinha de ser removido ou que ficava, elementos a desmontar para posterior colocação, a realização da estrutura das novas edificações, a forma dada pelo betão…

A partir das reflexões de Gonçalo M. Tavares sobre a engenharia, que, na verdade, são comuns a qualquer processo criativo, “Ingenium” é um olhar sobre estas obras e, ao mesmo tempo, sobre o papel fundamental da engenharia.

.

.

.

António Bracons, Ingenium, 2022

.

.

.

Este livro foi desenvolvido no âmbito da EIF – Escola Informal de Fotografia, sob orientação da fotógrafa Susana Paiva.

.

No próximo dia 07.10.2022, às 19:00, no Photo BooK Club Lisboa, farei a apresentação de INGENIUM. O evento é on-line, para participação no referido evento bastará enviar um email, solicitando o link de acesso, até dia 6 de Outubro, para <theportfolioproject@gmail.com>.

Mais informação sobre o evento aqui.

.

A apresentação de “Ingenium”, de António Bracons, será efetuada no âmbito do ciclo “TÍTULO – um livro é um livro é”, conjuntamente com “Inventar o Vazio” de Cláudia Freitas e “Distrito” de Miguel Henriques, em Lisboa, no Palácio Pancas Palha, na Tv. do Recolhimento de Lázaro Leitão, 1, dia 18 de setembro de 2022, às 16:30.

.

.

.

O livro encontra-se à venda. Pedidos ao autor, através de “Contactos” do FF, aqui. Preço de lançamento, até 30 de setembro: edição normal, 15,00 € (a partir de 01 de outubro, 17,00 €). Edição especial, 35,00 €.

.

.

.

Pode conhecer mais sobre o autor, no FF, aqui (nota biográfica) e aqui.

.

.

.