TERESA MENDES FLORES, SÍLVIO MARCUS DE SOUZA CORREA, SORAYA VASCONCELOS (COORDS.), IMAGENS & ARQUIVOS. FOTOGRAFIAS E FILMES, 2021

.

.

.

Imagens & Arquivos. Fotografias e Filmes

Coordenação: Teresa Mendes Flores, Sílvio Marcus de Souza Correa e Soraya Vasconcelos

Lisboa: ICNOVA — Instituto de Comunicação da NOVA Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Universidade Nova de Lisboa / Julho . 2021

Português /  / 350 pp.

Edição eletrónica (pode descarregar abaixo)

Edição impressa / Brochura

ISBN: 9789899048102 [Suporte: Eletrónico] / 9789899048119 [Suporte: Impresso]

.

.

.

.

A reflexão em torno da fotografia e da imagem e da sua relação com outras áreas, como os arquivos, assume um papel cada vez mais importante. Esta obra é uma coletânea de ensaios escritos e visuais. Referem os coordenadores:

.

O livro Imagens&Arquivos: Fotografias e Filmes reúne um conjunto de textos e ensaios visuais que reflete sobre aspetos diversificados das relações entre as imagens de cariz fotográfico, tanto fixas como em movimento, e os arquivos. Quando Roland Barthes encontra o noema da fotografia no seu inexorável “isto foi”, está a afirmar a dimensão de vestígio visual do passado, e portanto, a sua relação íntima com a história, tanto pessoal quanto coletiva. Em paralelo, a multiplicação de imagens que os aparelhos de fotografar e filmar possibilitam coloca, desde o início, o problema do seu arquivo e organização, tornando-as imagens arquivais por natureza. Um aspeto bem presente nas imagens digitais que, hoje, podem incorporar nos seus metadados o registo da data e local precisos do momento em que foram produzidas, bem como a possibilidade de adicionar legendas e palavras-chave que permitem a sua melhor classificação e localização nos arquivos computacionais. Tanto a racionalidade arquival quanto as questões da materialidade das imagens são pontos de ligação entre vários textos da colectânea e temas centrais dos textos de Elizabeth Edwards e de John Tagg que aqui apresentamos em tradução portuguesa.

Os trabalhos apresentados sobre as imagens como fontes e/ou objetos de estudos trouxeram à baila os percursos, às vezes labirínticos, em arquivos nacionais e estrangeiros das investigações sobre temas de cultura visual, notadamente na interface com a história dos impérios coloniais, tema que atravessa muitas das propostas desta colectânea, incluindo os diversos ensaios visuais. Este género surge aqui completamente integrado na proposta do livro e não como um seu suplemento. Pensamos nestes ensaios como evidências do potencial crítico e ativo da investigação artística baseada em pesquisa, como forma de construção do conhecimento. A abordagem artística introduz-se no seu objeto, não fala “sobre”, antes fala do lugar da experiência. Assim, num livro que se dedica a pensar a imagem fotográfica (fixa ou em movimento) e os conjuntos dessas imagens que se constituem em arquivos, considerámos haver espaço não só para falar “sobre” mas também para deixá-las expressar-se a partir desse ponto de coincidência.

Este livro não é, por isso, sobre imagens do passado, mas sobre a sua presença no espaço público visual contemporâneo e sobre suas múltiplas vidas.

.

.

.

Os artigos que compõem a obra são:

.

  • Elizabeth Edwards – Fotografias: a forma material e o arquivo dinâmico
  • John Tagg – A máquina de arquivo ou A câmara fotográfica e o ficheiro
  • Ana Maria Mauad – Dos arquivos às exposições: fotografia pública e história em ‘Conflitos’ (2017)
  • Maria José Lobo Antunes – Provas de vida: fotografia da guerra colonial num arquivo digital vernáculo
  • Giulia Strippoli – La Vittoria è Certa, de Lionello Massobrio: história parcial de um filme e reflexão sobre um encontro
  • Daniel Barroca – Nothing lasts forever, but some things burn for ages (2020)
  • Sílvio M. de Souza Correa – As marcas do silêncio em imagens de arquivos
  • Marcus Vinicius de Oliveira – Itinerários fotográficos no acervo do Instituto de Antropologia da Universidade do Porto
  • Allen F. Roberts,Mary N. Roberts – Dwelling in the word: a visual essay on Senegalese sacred architecture
  • Teresa Mendes Flores – Rasgar as fronteiras: campos e foras de campo nos álbuns fotográficos das fronteiras
  • Sofia Yala Rodrigues – Memórias Negro-Lisboetas
  • Marina Feldhues – Possibilidades para descolonização de fotografias coloniais: reflexão a partir de livros fotográficos
  • Lara Portela, Nelson Melo – Arquivologias (2014-2018)
  • Maria do Carmo Piçarra – O arquivo “antropológico” filmado em “Timor Português”: propaganda da MAT e a poesia de Cinatti
  • Sara Castelo Branco – O arquivo em reverso. A potência da origem e do incloncluso nas obras de Filipa César e Ângela Ferreira
  • Cláudia Madeira – Meta-hibridismo e a reativação dos arquivos da arte da performance portuguesa
  • Ana Lúcia M. de Marsillac, Anelise Hauschild Mondardo – Contra-imagem, efeito de sujeito: arte contemporânea e psicanálise
  • Francisca José – Discurso perpétuo; ou da tautologia da origem pela geometria sagrada

.

.

.

Pode ver (e descarregar .pdf) aqui.

.

.

.

Advertisement