VERA MARMELO, CARTOGRAFIA INDIVIDUAL

.

.

.

Vera Marmelo apresenta o Barreiro através de dípticos, imagens suspensas: os prédios, construções dos anos 1960, 70, 80, alguns posteriores, fachadas, traseiras, as varandas fechadas em marquises, os grafitis nas paredes, os contentores das obras, o envelhecimento e degradação dos edifícios, as montras das lojas, o pó… Imagens ‘grandes’, como se caminhássemos pela cidade.

E, por outro lado, num formato pequeno, num registo intimista, as paisagens amplas da natureza, cores mais intensas, de caminhadas mais descontraídas e livres, um horizonte mais amplo.

A mesma cidade.

.

.

Escreve Vera Marmelo:

.

Mapear a minha cidade, mapear as caminhadas, as corridas e as redondezas. E é na repetição dos percursos que percebo e aceito o meu pequeníssimo raio de circulação. Nesta repetição treinei-me a ver a cidade e os seus cantos debaixo de uma lupa de beleza, que esquecemos no dia-a-dia.
É esse o puzzle de imagens que constrói a minha cartografia individual em dois momentos desta exposição:

Março a maio de 2020, cartografado em corridas e caminhadas.

Fim de janeiro de 2021 cartografado um raio de 300 m, numa despedida silenciosa e inconsciente.

.

.

.

António Bracons, Aspetos da exposição, 2022

.

.

.

“Cartografia Individual”, de Vera Marmelo integrou o Mês da Fotografia do Barreiro, exposição patente no Auditório Municipal Augusto Cabrita, 27 de novembro de 2021 a 13 de fevereiro de 2022.

.

.

.


Vera Marmelo fotografa música desde 2006. Autodidata e motivada por uma cena musical no eixo Barreiro-Lisboa. Passados mais de 15 anos desde o início, os músicos, os concertos, as salas, os festivais e as ocasiões mais ou menos especiais vão-se multiplicando e o seu arquivo pessoal crescendo.

.

.

.

Pode conhecer mais sobre o trabalho de Vera Marmelo no FF aqui e no site da autora, aqui.

.

.

.

Advertisement