CRISTINA H. MELO, VERTIGO

Exposição n’ A Pequena Galeria, na Av. 24 de Julho, 4C, de 7 de outubro a 7 de novembro de 2020.

.

.

.

Cristina H. Melo, Vertigo

.

.

O assunto tratado é visível a todos, o conteúdo só é descoberto por aquele que tem algo a contribuir e a forma é o mistério para a maioria.”

Goethe

.

A minha verdade está naquilo que me define; a liberdade naquilo que faço e como faço.”

Cristina H. Melo

.

Sobre VERTIGO de Cristina H. Melo, escreve Carlos Oliveira Cruz:

Urge procurar nas imagens que nos visitam, ou que encontramos, uma nova forma de ver. Elas são de um tempo que na sua súbita mudança nos surpreendem.

Não se contorna a mudança. E preciso encontrar nela a fascinação que nos sensibilize e indique o “mistério” de outras formas.

Tem de ser um tempo de recriar, de encontrara equilíbrios diferentes e de comunicar com os Outros, redesenhando, neste caso fotografando novas visões do espaço.

VERTIGO representa um conjunto de paisagens recriadas onde surgem objectos disseminados com um potencial simbólico que nos permita entender a envolvente externa com os “seus conteúdos a descobrir”.

A aproximação a um mundo surreal espelhado no conjunto das fotografias expostas decorre da fascinação da vertigem que nos assola, mas que estimula a criação e permite superar as ideias, a intervir nas imagens como forma de encontrar outras harmonias num vertigo de emoções.

.

Outubro 2020”

.

No fundo, a fotografia é subversiva, não quando assusta, perturba ou até estigmatiza, mas quando é pensativa.”

R. Barthes

.

.

.

António Bracons, Aspetos da exposição, 2020

.

.

A exposição de Cristina H. Melo, “Vertigo”, integrada no Imago Lisboa Photo Festival, está patente em Lisboa, n’A Pequena Galeria, na Av. 24 de Julho, 4C, de 07 de outubro a 07 de novembro de 2020.

.

.

.

.

Cristina H. Melo nasceu em Lisboa, a 20 de Junho de 1962. Vive e exerce a sua actividade em Lisboa. 
Estudou psicoterapia no Reino Unido, nomeadamente na área das doenças compulsivas, e posteriormente foi pioneira do método Minnesota em Portugal, tendo fundado a Clínica ERA – Empatia, Recuperação e Apoio, em Lisboa, onde trabalhou durante alguns anos. No final dos anos 90 deixa a Clínica e Portugal e viaja pelo mundo. Durante essa viagem, que foi sobretudo a do reencontro consigo própria, começa a desenhar, sobretudo utilizando traços geométricos. Regressa a Portugal em 2001 e frequenta o curso de desenho da Sociedade Nacional de Belas Artes, tendo decidido passar a dedicar-se à pintura. Nos seus últimos trabalhos utiliza cada vez mais a fotografia como meio experimental para uma técnica mista em que também trabalha com a colagem e decide tirar o curso profissional de fotografia no Instituto Português de Fotografia para poder desenvolver mais consistentemente os seus processos.

Tem vindo a exibir os seus trabalhos  desde 2009.

.

.

.

Pode ouvir uma entrevista de Cristina H. Melo, sobre este projeto em 3 pequenos vídeos, aqui, aqui e aqui.

.

Pode conhecer melhor a obra de Cristina H. Melo aqui e no Fascínio da Fotografia, aqui.

.

.

.

Advertisement