MÁRIO CRUZ, VIVER ENTRE O QUE É DEIXADO PARA TRÁS

Prémio Estação Imagem 2019 Coimbra, categoria Ambiente e 3.º prémio World Press Photo 2019, categoria Ambiente.

Exposição “Living among what’s left behind” no Palácio Anjos, em Algés, de 6 de abril a 30 de junho de 2019.

.

.

.

Este slideshow necessita de JavaScript.

© Mário Cruz, Viver entre o que é deixado para trás / Living among what’s left behind, 2018

.

.

O coração de uma cidade tornou-se a sua vergonha. O rio Pasig, outrora o centro económico de Manila, é agora o reflexo de uma sociedade extremamente desigual, na qual 21,6% da população vive abaixo do limiar de pobreza, numa luta diária contra a poluição. Desesperados por trabalho, muitos filipinos viram em Manila a solução. Traídos pelos seus sonhos, muitos acabaram a viver em construções ilegais junto ao rio. O lixo doméstico transformou o Pasig num esgoto. Negligenciado, o rio foi considerado biologicamente morto já na década de 1990. Hoje, construções frágeis acolhem vidas frágeis não sendo mais do que madeira cravada em águas extremamente poluídas. O Pasig é um dos 20 rios mais poluídos do mundo.

Mário Cruz

.

.

53431844_10214137125441840_698619333122719744_n

.

No Palácio Anjos, em Algés, na Alameda Hermano Patrone, este projeto de Mário Cruz está em exposição de 6 de abril a 30 de junho de 2019 (inicialmente até 26 de maio). Apresenta-se um conjunto significativo de fotografias, quer em molduras, quer coladas irregularmente sobre a parede, transmitindo assim um sentido de precário, de pobreza que reforça as próprias imagens.

A icónica imagem da criança deitada num colchão sobre um rio coberto de lixo (plásticos), vencedora do 3.º prémio da categoria Ambiente do World Press Photo 2019 centra-se emoldurada na parede de uma sala. Para a ver há que caminhar sobre resíduos, essencialmente de plásticos, das mais diversas origens, domésticos e industriais, que lançamos fora… Tal como em Manila, onde vão parar ao rio e praticamente o cobrem…

Mário Cruz mostra ainda algumas polaroids de retratos de pessoas com que (com)viveu no mês (de férias) que passou em Manila a desenvolver o projeto.

.

.

Este slideshow necessita de JavaScript.

António Bracons, Aspetos da exposição, 2019

.

.

.

Mário Cruz (Lisboa, 1987) é um fotógrafo independente focado nas questões de injustiça social e direitos humanos. Parte dos seus trabalhos são preparados ao longo do ano e nas suas férias (de fotógrafo) vai até aos locais fotografar os seus projetos pessoais.

Os seus projetos são reconhecidos mundialmente: “Cegueira Recente” – Prémio Estação Imagem 2014; “Roof” – Magnum 30 Under 30 Award; “Talibes: Escravos Modernos” – World Press Photo 2016, Imagem do Ano 2016, Magnum Photography Awards 2016, Prémio Estacao Imagem 2016; “Vivendo entre o que é deixado para trás” – World Press Photo 2019.

O seu trabalho foi publicado na Newsweek, no International New York Times, no Washington Post, na CNN, no El Pais, no CTXT e no Neue Zurcher Zeitung.

É autor de dois livros: “TALIBES. Modern day slaves” [Escravos dos tempos modernos], Fotoevidence, 2016 e “Living among what’s left behind”, Nomad e Fotoevidence, 2019.

.

.

O Prémio Estação Imagem 2019 Coimbra da categoria Ambiente distingue Mário Cruz, por “Viver entre o que é deixado para trás”.

.

O PRÉMIO ESTAÇÃO IMAGEM 2019 COIMBRA foi anunciado no passado dia 27 de abril de 2019 em Coimbra; irá estar em exposição naquela cidade, de 28 de junho a 31 de julho na Galeria Pedro Olayo (Filho) do Convento de S. Francisco, e depois noutras cidades.

Nesta 10.ª edição do prémio, “foram submetidas a concurso perto de 400 reportagens, às quais juntaram as mais de cem candidaturas para Fotografia do Ano várias dezenas à Bolsa ESTAÇÃO IMAGEM Coimbra.” O júri foi presidido por Stéphane Arnaud, editor-chefe de Fotografia Internacional da AFF, sendo os restantes elementos: George Steinmetz, Michael Kamber e Darrin Zammit Lupi.

Dedicado ao fotojornalismo, o PRÉMIO ESTAÇÃO IMAGEM é não só único na Península Ibérica como um dos raros que se realizam em todo o mundo focados na reportagem fotojornalística. É destinado a fotojornalistas de Portugal, dos PALOP e da Galiza, bem como estrangeiros que trabalhem nestes territórios.”

.

.

Mario_Cruz-Living_Among_We_left_Behind,2019 (1)

Pode ver o livro desta série no Fascínio da Fotografia, aqui.

.

.

.

Pode conhecer melhor o trabalho de Mário Cruz aqui.

Cortesia: Prémio Estação Imagem 2019 Coimbra.

Atualizado em 2019.11.27 com a inserção do livro.

.

.

.