Monthly Archive: Agosto, 2018

ANTÓNIO BRACONS, EXPO’98. O PAVILHÃO DO CONHECIMENTO DOS MARES E O OCEANÁRIO, 1998

. . . António Bracons, EXPO’98, Lisboa, 1998 . . No Pavilhão do Conhecimento dos Mares viamos como estes foram sendo conhecidos pelo Homem, desde o início dos tempos até hoje: do aprender… Continuar a ler

ANTÓNIO BRACONS, EXPO’98. OS PAVILHÕES DA UTOPIA E DO FUTURO, 1998

. . . António Bracons, EXPO’98, Lisboa, 1998 . . Estes dois pavilhões faziam apresentações alegóricas e simbólicas dos oceanos. Comecemos pelo Pavilhão da Utopia: exteriormente lembra um capacete de ciclista, no interior,… Continuar a ler

ANTÓNIO BRACONS, GRANDES ARMAZÉNS DO CHIADO, 1992-1994 – 2

30 anos do Grande Incêndio do Chiado, Lisboa (25 de agosto de 1988) . . . António Bracons, Grandes Armazéns do Chiado, 1992-94 . . Entro no espaço do que fora o Convento… Continuar a ler

ANTÓNIO BRACONS, GRANDES ARMAZÉNS DO CHIADO, 1992-1994 – 1

30 anos do Grande Incêndio do Chiado, Lisboa (25 de agosto de 1988) . . . António Bracons, Grandes Armazéns do Chiado, 1992-94 . . Entre 1992 e 1994 trabalhei numa parte da… Continuar a ler

O PORTUGAL DE HENRI CARTIER-BRESSON

110 anos do nascimento de Henri Cartier-Bresson (Chanteloup-en-Brie Seine-et-Marne, França, 22 de agosto de 1908 — Montjustin, França, 3 de agosto de 2004) . . . Henri Cartier-Bresson, Portugal, 1955: Parada militar. O… Continuar a ler

ANTÓNIO BRACONS, EXPO’98. OS PAVILHÕES DE PORTUGAL E DO TERRITÓRIO, 1998

. . . António Bracons, EXPO’98, Lisboa, 1998 . . Frente à linha de bandeiras que une a entrada central – a Porta do Sol – ao Tejo, para sul, está o Pavilhão… Continuar a ler

ANTÓNIO BRACONS, EXPO’98. A ÁREA SUL, 1998

Dia Mundial da Fotografia. A 19 de agosto de 1839, Daguerre anuncia publicamente a fotografia, pode ler aqui. . . . António Bracons, EXPO’98, Lisboa, 1998 . . O teleférico liga a Zona Norte… Continuar a ler

ANTÓNIO BRACONS, EXPO’98. DA TORRE VASCO DA GAMA, 1998

. . . António Bracons, EXPO’98, Lisboa, 1998 . . A Torre Vasco da Gama foi edificada para a EXPO’98. A estrutura, com cerca de 140 m de altura, é o edifício mais… Continuar a ler

ANTÓNIO BRACONS, EXPO’98. A ÁREA NORTE, 1998

. . . António Bracons, EXPO’98, Lisboa, 1998 . . Entrei pela Porta do Sol… Em frente, uma linha de água acompanha, une os mastros em que se apresentam as bandeiras dos países… Continuar a ler

VARELA PÈCURTO, COIMBRA VISTA POR MIGUEL TORGA, 1991

111 anos do nascimento de Miguel Torga, Adolfo Correia da Rocha (São Martinho de Anta, Sabrosa, Vila Real, 12 de agosto de 1907 — Coimbra, 17 de janeiro de 1995) . . .… Continuar a ler

FERNANDO CURADO MATOS, CARLOS MELO SANTOS, MARGEM DA AUSÊNCIA, 1998, E UM ROMANCE DE URBANO TAVARES RODRIGUES

No 5.º aniversário da morte de Urbano Tavares Rodrigues (Lisboa, 6 de dezembro de 1923 – Lisboa, 9 de agosto de 2013) . . . Urbano Tavares Rodrigues, Fernando Curado Matos, Carlos Melo… Continuar a ler

ANTÓNIO BRACONS, EXPO’98. ENTRAR, 1998

. . . Preâmbulo à série EXPO’98 . A EXPO’98 marcou o país e os portugueses. Pela dimensão da exposição em si, por toda a intervenção efetuada, não só nos 330 hectares da… Continuar a ler

RENATO MONTEIRO, METAMORFOSE. MEMORPHOSIS, 1998

. . . Renato Monteiro Metamorfose. Memorphosis Fotografia e texto: Renato Monteiro / Texto: António Pinto Lisboa: Parque EXPO 98, SA / 1998 Português e inglês / 27,8 x 26,0 cm / 164… Continuar a ler

DANIEL BLAUFUKS, ILHAS. ISLANDS, 1995

. . . Daniel Blaufuks e Sophia de Mello Breyner Andresen Ilhas. Poemas escolhidos. Islands. Select Poems Fotografia: Daniel Blaufuks / Apresentação: António Cardoso e Cunha / Poemas: Sophia de Mello Breyner Andresen… Continuar a ler