POSSÍVEL… (CIT.), WILLIAM HENRY FOX TALBOT E “THE PENCIL OF NATURE”

140 anos da morte de William Henry Fox Talbot (Dorset, Reino Unido, 11 de fevereiro de 1800 – Lacock, Reino Unido, 17 de setembro de 1877)

.

.

.

Quão encantador seria se fosse possível fazer que essas imagens naturais se imprimissem elas próprias de forma durável e fixa no papel! E por que não deveria ser possível? Perguntei-me.”

William Henry Fox Talbot

.

.

.

Stable door and ladder, Lacock Abbey, Wiltshire, the home of William Henry Fox-

William Henry Fox-Talbot, Stable door and ladder, Lacock Abbey, Wiltshire, calotipo. A casa de Fox Talbot.

.

.

.

Fox Talbot estudou nas Universidades de Harrow e de Cambridge, onde recebeu o grau de Master of Arts em 1826. Talbot dominava as ciências exactas e naturais, a história antiga, a arqueologia, a linguística e as belas-artes. Em janeiro de 1834 começa a sua investigação para fixar as imagens. Em 8 de Fevereiro de 1841 regista a patente do seu processo, que intitula de calotipo, do grego “kalos”, belo: o Calotype Photographic Process. A história desta descoberta pode ler no Fascínio da Fotografia aqui.

.

Talbot, fot J Moffat 1864

J. Moffat: retrato carta-de-visita de William Henry Fox Talbot, 1864.

.

Talbot publica através da firma “Longman, Brown, Green and Longmans”, “The Pencil of Nature”, o primeiro livro comercial ilustrado com fotografias, editado em seis fascículos entre junho de 1844 e abril de 1846, tem o formato de 15.2 x 20.3 cm (6 x 8 polegadas), é composto por 24 calotipos e um texto para cada uma das imagens. Do primeiro número fizeram-se 285 cópias e do segundo 150, estimando-se ser esta a tiragem dos restantes fascículos.

.

the pencil of nature - 1844 - Fox Talbot.jpg

 

Talbot-the-pencil-of-nature

“The Pencil of Nature” – capa do primeiro fascículo e imagem VII.

.

Talbot vendeu ele próprio os fascículos por 7/6d, 12/- e 21/-. Posteriormente, algumas séries completas foram encadernadas e vendidas por subscrição, encabeçada pela Rainha Victória. Talbot também ofereceu alguns exemplares a familiares e a grandes amigos. Estima-se que existam ainda cerca de 40 exemplares.

Fox Talbot publicou ainda dois outros trabalhos fotográficos, produzidos por The Reading Establishment: “Sun Pictures of Scotland”, baseado nos trabalhos de Sir Walter Scott, e “The Talbotype Applied to Hieroglyphics”, este com apenas três calotipos, mas sobre um dos seus outros interesses.

Frederick Scott Archer descobre, em 1851, o processo de colódio, o qual em apenas cinco anos torna o calotipo obsoleto, no entanto a importância de Talbot para a fotografia é fundamental: cria e utiliza o primeiro processo negativo / positivo, que permite a obtenção do número de cópias que se quiser, ao contrário do daguerreótipo, então em uso, de exemplar único.

.

.

.

Pode ler os textos de “The Pencil of Nature”, aqui.

Pode conhecer mais sobre Talbot: no MET Museum aqui; “A Correspondência de Fox Talbot”, um projeto da De Montfort University, de Leicester, aqui; um texto de Geoffrey Batchen sobre Talbot, “O comerciante de carvão e Talbot”, aqui.

.

.

.

 

Anúncios