JORGE CALADO, AU FÉMININ. WOMEN PHOTOGRAPHING WOMEN 1849-2009, 2009

Dia Mundial da Mulher

.

.

.

Jorge Calado

Au féminin. Women Photographing Women 1849-2009

Fotografia: Ana Telhado, Brígida Mendes, Dayanita Sing, Diane Arbus, Dorothea Lange, Eve Arnold, Gertrude Kasebier, Helena Almeida, Imogen Cunningham, Julia Margaret Cameron, Laura Gilpin, Lee Miller, Luísa Ferreira, Madame Yevonde, Maria Lamas, Mary Mattingler, Rebecca Lepckoff, Rita Barros, Sarah Moon e outras / Introdução, Ensaio, coordenação e organização: Jorge Calado / Abertura: Emílio Rui Vilar, Marcello Duarte Mathias / Conceção gráfica: Inês Sena

Paris: Centre Culturel Calouste Gulbenkian / 2009

Francês e inglês  / 24,5 x 29,4 cm / 340 págs.

Cartonado / 600 ex.

ISBN: 9789728462529

.

.

Au_Feminin (3)

.

.

A fotografia não tem sexo.”

Imogen Cunningham (1883-1976)

.

.

Em 1989, no âmbito da comemoração dos 150 anos da apresentação pública da fotografia, a Royal Academy, de Londres, apresenta a Exposição Internacional “The Art of Photography 1839-1989”, na qual apenas 4 autoras foram incluídas entre 97 fotógrafos. Com esta Exposição Internacional, Jorge Calado quis mostrar as mulheres fotógrafas e fazer destacar uma em particular: a portuguesa Maria Lamas.

Entre 1948 e 1950, Maria Lamas publica uma obra, As Mulheres do Meu País, pela  editora Actuális, em fascículos (reeditado em 2003 pela Editorial Caminho), a qual tem grande sucesso. Este livro é profusamente ilustrado com fotografias de vários autores que retratam a mulher portuguesa, sendo um núcleo significativo da autora, com grande qualidade e sensibilidade das imagens, no entanto as mesmas passam ao lado da história da fotografia portuguesa (por exemplo, António Sena não a refere na História da Imagem Fotográfica em Portugal – 1839-1997, Porto: 1998).

Jorge Calado, fascinado com as imagens de Maria Lamas, procura os originais e o fascínio é ainda maior. Como escreve: “imensa pesquisa efectuada por Maria Lamas (1893-1983), no fim dos anos 40, sobre a condição da mulher portuguesa é tanto fotográfica como sociológica e antropológica”, querendo que as suas fotografias sejam “«verdadeiras, expressivas, com um valor documental e inéditas»”, nas palavras da própria Maria Lamas. Calado considera que “As fotografias de Maria Lamas são importantes na história da fotografia portuguesa (e mundial) e são aqui expostas pela primeira vez, sobre forma de um pequeno conjunto representativo de provas de época.” Desenvolve ao longo de 3 páginas no extenso ensaio “Le sexe de la photographie” a pertinência de Maria Lamas, cuja biografia é também a maior do livro.

Esta obra é, pois, uma homenagem a Maria Lamas e a posicioná-la entre as maiores fotógrafas não só europeias, mas ocidentais.

É assim que em Au féminin. Women Photographing Women, das 140 fotografias de 100 fotógrafas, apresenta 8 fotografias de Maria Lamas, 6 de Eve Arnold, 4 de Rebecca Lepckoff, sendo das restantes fotógrafas 1 ou 2 fotografias. As outras fotógrafas portuguesas presentes são: Rita Barros, Luísa Ferreira, Ana Telhado e Helena Almeida  com 2 fotografias cada e Brígida Mendes com uma.

Calado mostra “a diversidade da condição feminina em toda a sua riqueza e subtileza”, dividindo a obra pelos capítulos: “As idades da mulher”, “Algumas mulheres”, “Maternidade”, “Em casa”, “No exterior”, “Trabalho e lazer”, “Moda e shopping”, “Estrelas e deusas”, “Ficções e metáforas”, “Natureza”.

Além da “Introdução”, em que Calado conta a história e o desenvolvimento do projeto, desenvolve um importante ensaio de 25 páginas “Le sexe de la photographie”, onde analisa a presença na fotografia de Imogen Cunningham, Laura Gilpin, Julia Margaret Cameron, Gertrude Kasebier, Maria Lamas, Madame Yevonde, Mary Mattingler, entre outras fotógrafas.

.

.

.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Jorge Calado, Au féminin. Women Photographing Women 1849-2009, Paris: Centre Culturel Calouste Gulbenkian, 2009

.

.

.

De destacar a qualidade deste livro como objeto: a brancura do papel e da capa, o peso da folha, a qualidade e a cor da impressão, indo buscar às imagens a preto e branco o seu tom original, contribuem para o reconhecimento que se prestou, apesar da reduzida tiragem da obra.

.

.

45_4340

Arqt.ª Teresa Nunes da Ponte (Projeto da exposição), Aspeto da exposição, 2009

.

.

Este livro é o catálogo da exposição que Jorge Calado comissariou e que esteve patente no Centre Culturel de Paris da Fondation Calouste Gulbenkian, 51, Avenue d’Iena,  de 24 de junho a 29 de setembro de 2009.

.

Pode ler sobre o livro “As Mulheres do Meu País”, de Maria Lamas, no Fascínio da Fotografia, aqui.

Pode (ver)ler uma (foto)biografia de Maria Lamas, por José Gabriel Pereira Bastos, no Fascínio da Fotografia, aqui.

.

.

.